Saiba tudo sobre julgamento e classificação em Copas de Marcha e Exposições de Gado e Equinos

Exposições de gado e cavalo e copas de marcha são eventos que possuem alguns cerimoniais bastante particulares, que não são comuns em outros eventos esportivos. Um desses itens é a classificação dos animais no momento da premiação.

É grande campeão da raça, reservado campeão, 1º prêmio e outras nomenclaturas que podem soar estranho para quem não conhece com tanta profundidade esse modelo de competição. E como os vereditos são dados? Como é o julgamento?

Para responder a essas questões, fizemos esse post completo, com explicações simples e bastante completas sobre o julgamento em Copas de Marcha e Exposições.

Premiação de Copa de Marcha, com adestradores montados nos cavalos que estão com escarapelas e homens ao lado segurando os troféus

Vamos conferir?

#01 O julgamento

Em exposição de gado, a comissão julgadora pode variar de formato, mas normalmente segue o padrão de uma equipe formada por jurado titular e jurado assistente e auxiliar, que acompanham a exposição com uma ficha técnica com todas as informações sobre cada animal presente na competição.

Na ficha técnica contam informações de peso, medidas morfométricas e avaliação de ultrassonografia da carcaça. As medidas morfométricas são as medidas de altura anterior, posterior e comprimento do corpo. A ultrassonografia da carcaça demonstra a área do olho-de-lombo, o chamado “contra-filé” e a espessura de gordura na 12ª costela e a P8, a gordura da picanha.

No julgamento, os jurados comparam cada um dos animais, avaliando os aprumos, que é a direção que tem os membros, distribuindo o peso corporal de forma equilibrada entre as quatro patas, seu posicionamento, a forma com que se desloca e o animal ainda precisa estar com as pernas fortes, que é o que dá sustentação ao seu peso.

Premiação de Copa de Marcha, com adestradores montados nos cavalos que estão com escarapelas e pessoas ao lado segurando os troféus

No dia do campeonato, também é preciso se preocupar com a aparência do animal, pois, como em qualquer concurso desse tipo, a estética é levada em consideração. A beleza, o cuidado com o pelo, a limpeza da orelha, chifre e calda são critérios também avaliados pelos juízes. E, inclusive, se o animal estiver estressado, o juiz vai avaliar negativamente também.

Já nas copas de marcha, os juízes irão avaliar outros critérios, já que se tratam de animais diferentes e competições diferentes.

Os árbitros avaliam criteriosamente a marcha do animal, que é a forma com que ele se locomove pela pista e pode ser classificada em marcha batida, picada ou de centro. É como se fosse o passo do animal, mas é mais acelerada e garante apoios alternados dos bípedes laterais e diagonais, intercalando em momentos de tríplice apoio. Normalmente, os animais são avaliados montados e solo.

E dentro da marcha do animal, são avaliados cinco quesitos que influenciam diretamente na sua performance, que são eles: comodidade, rendimento, regularidade, rendimento, adestramento e gesto de marcha. Vamos conhecer melhor cada um desses?

A comodidade avalia o animal que não proporciona atritos verticais frontais ou laterais ao cavaleiro e que possui bom temperamento de sela. Mas não é só a falta de atrito que caracteriza a comodidade em montar o cavalo. Qualquer outra característica que leva ao prazer de montar esse animal também influencia diretamente nesse quesito, como energia, adestramento, se não pesa nas rédeas, sua atitude e frente na posição correta.

Já o rendimento é a facilidade com que um cavalo percorre uma distância maior com um número menor de passadas, que precisam ser amplas e elásticas, sem perder o equilíbrio e o estilo da marcha. É desejável que ocorram sobrepegadas e ultrapegadas e acontecem quando o animal coloca o posterior acima ou a frente de onde colocou o anterior ao solo, comprovando posteriores elásticos e muita impulsão.

A regularidade é avaliada durante a prova, considerando se o cavalo se manteve equilibrado do início ao fim, com vontade, rendimento e gesto de marcha ou se começou a brigar e bater cabeça. O final do concurso de marcha é o momento em que os juízes irão anotar os resultados e, portanto, a regularidade influenciará diretamente nos seus resultados. Se o animal começar bem a prova, mas terminar mal, o árbitro, consequentemente, irá avalia-lo mal.

O fator adestramento avalia a harmonia entre o cavalo e o cavaleiro, tanto quando monta o adestrador, quanto o árbitro. O animal calmo, mas enérgico, que respeita os comandos de rédeas, pernas e assento são os melhores adestrados. Esse quesito influencia diretamente em outro fator, a comodidade, já que influencia na forma com que o cavaleiro irá montar no cavalo, se será uma montaria prazerosa e cômoda ou não.

O último quesito é o gesto de marcha, que é também o mais expressivo em um julgamento. Se o animal não tiver um bom gesto, provavelmente também não terá um bom resultado, por isso ele é soberano em um julgamento. O gesto de marcha é o diagrama de marcha associado à qualidade dos movimentos do animal. A movimentação do cavalo entre membros anteriores e posteriores deve ser harmoniosa e bem articulada, para que seu resultado seja bom no campeonato.

Homem montado no cavalo segurando troféu

Em resumo, os critérios de julgamento entre cada modelo de campeonato são diferentes entre si, mas a classificação é comum entre esses tipos de eventos e, por isso, se justifica sua explicação nesse artigo, caso você esteja meio confuso.

Então, agora que você já sabe como é feito o julgamento dessas provas, vamos saber um pouco mais sobre as classificações.

#02 As classificações

Você, se não conhece muito bem ainda como é feita a premiação em Copas de Marcha e Exposições, provavelmente já deve ter ficado perdido entre Campeão, Reservado Campeão, 1º Prêmio, Grande Campeão, etc.

Afinal, o que significam todas essas nomenclaturas?

Para começar a esclarecer esses conceitos, vamos começar entendendo que o título de reservado campeão não é concedido ao vice-campeão da categoria. A diferença maior entre as duas classificações é a contagem de pontos. O campeão é aquele que está mais próximo que é considerado como perfeito para a raça, enquanto que o reservado é aquele que perdeu em algum quesito por muito pouco.

Mas não se deve chamar o reservado campeão de segundo colocado porque ele é um animal quase perfeito e perdeu muito pouco, além de ser considerado campeão em outras categorias e, por isso, seria injusto chama-lo de vice-campeão. Por isso, ele é o reservado campeão.

Homem montado no cavalo com escarapela e pessoas ao lado

Cada uma dessas competições é organizada em diversas categorias diferentes, marcha batida, marcha picada, touro jovem, touro sênior... Enfim, são inúmeras nomenclaturas. O campeão de cada categoria irá para o julgamento final para ser o Grande Campeão. Esse será o animal tido como o mais próximo do ideal para a raça e, por isso, grande campeão. O animal que perder por pouco em algum quesito será o Reservado Grande Campeão, etc.

O reservado campeão, no caso de o campeão não poder comparecer à pista, irá representa-lo.

Em seguida, vem o 1º Prêmio, que é o animal que recebe a 3ª maior nota somando todos os quesitos. O 1º prêmio não pode representar o campeão ou o reservado campeão. O 1º prêmio tem esse nome porque, previamente, foi julgado como o animal 1º colocado em alguma categoria, mas na soma geral das notas acabou perdendo para outros animais e, por isso, não é chamado de 3º lugar.

... Estamos entendidos?

Conseguiu compreender um pouco mais sobre o universo das Copas de Marcha e das Exposições? Está preparado para acompanhar mais dessas competições? Se você estiver começando a organizar competições dessas modalidades, recomendamos que acompanhe às regras oficias das associações nacionais.

E aí, você já participou de algum desses eventos? Conhecia bem essas nomenclaturas? Ainda está com alguma dúvida? Conta tudo aqui pra gente nos comentários.

0 visualização0 comentário

(35) 3261-1073

(35) 3261-4353

(35) 9.8891-0000

contato@uniarttrofeus.com.br

  • Facebook
  • Instagram
Vamos tomar um café?

Rua Toledo Piza 653 Centro

Campanha MG Cep 37.400-000

Grupo Urias & Urias Ltda. • CNPJ.12.279.099/0001-91